Ouça a Latina Brasil! Estamos ao vivo 24h por dia.

Lançada no último dia 23, La Tóxica acumula mais de 7 milhões de visualizações no YouTube. É uma das prévias do próximo álbum de Farruko, ainda sem data de lançamento divulgada.

Você também pode gostar:
‘Un Día’: parceria de J Balvin, Dua Lipa, Bad Bunny e Tainy
Bigger Love Remix: confira versão de John Legend e Mau y Ricky
Ozuna e Wisin revivem clássico em ‘Gistro Amarillo’

Além de levar o nome de um dos maiores cantores do reggaetón da atualidade, a faixa conta com batidas da raíz do gênero. Com um início suave que destaca o vocal do porto-riquenho, logo La Tóxica ganha ritmos fortes. Farruko explica que a intenção é mostrar diversas emoções em uma só música.

“Sempre experimento ritmos diferentes, mas eu quis voltar às minhas raízes nessa música, mas claro que com uma pegada moderna e uma fusão com outros ritmos”, explicou o cantor. “A canção é como uma montanha russa de ritmos e emoções – temiam mudança inesperada. Quando você ouve pela primeira vez, acha que vai ser uma balada lenta, mas aí vem a batida. Essa foi minha missão, mostrar diferentes emoções em uma música”.

“Sempre me certifico de que minhas músicas tenham um conteúdo bom, mas também quero ter certeza que tenho um bom gancho. Para mim, é crucial ter algo algo que seja curto, preciso e cativante. Isso que gruda”.

Apesar da canção já estar pronta desde fevereiro, o vídeo foi gravado no mês passado sob a direção de Fernando Lugo [Bad Bunny, J Balvin, Aventura]. “Foi desafiador por causa da COVID-19 e o isolamento, mas tomamos as precauções necessárias para ser seguro”, contou Farruko à Billboard. 

“Estive super envolvido no conceito do vídeo. Eu apresentei a idéia a Fernando Lugo e ele me deu a liberdade de criar o conceito ao lado dele. Tive uma ideia e ele deu forma à ela, então a tornamos realidade. Temos essa química e é por isso que gosto de trabalhar com ele”.

“O nome é porque pode ser sobre uma pessoa ou situação tóxica. Acho que muitos casais passam por essa fase em que o relacionamento fica azedo ou um deles se torna tóxico”, explica. “Eu gosto que a palavra seja neutra em termos de gêneros porque qualquer pessoa pode se identificar com a letra. Também notei que essa palavra tem sido muito usada nas mídias sociais, então já estava de olho há um tempo”. 

https://www.youtube.com/watch?v=puugRJxgdt4
Compartilhe:

0 Comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *