Ouça a Latina Brasil! Estamos ao vivo 24h por dia.

Durante uma entrevista na Ultra Fiesta, o rapper Snoop Dogg confirmou que está trabalhando com Bad Bunny. O anúncio foi feito durante o red carpet do evento. “Muitos artistas estão trabalhando com eles [latinos], porque eles fazem uma ótima música e está no momento do mundo inteiro saber disso”, confessou.

O último trabalho solo do Snoop Dogg foi em 2018, com seu álbum gospel Bible of Love. Entretanto, enquanto trabalha em seu novo projeto, tirou um tempo para colaborar com outros artistas, principalmente brasileiros. Recentemente, participou da faixa Onda Diferente, presente no álbum Kisses de Anitta, que também conta com Ludmilla. Além disso, colaborou com Tubarão Baixada em Tirando Onda in L.A.

Bad Bunny, por outro lado, continua na divulgação de seu disco X100PRE. O clipe de Ni Bien Ni Malteve foi acusado de maus tratos aos animais. Isso porque, no clipe, o cantor utilizou coelhos com a pele tingida de rosa. Jessy Terrero, diretor do vídeo, se responsabilizou em uma declaração e disse Bad Bunny não deveria ser hostilizado por isso. Também disse que nenhum animal sofreu maus tratos durante as gravações.

“Meu nome é Jessy Terrero e sou o diretor do vídeo “Ni Bien Ni Mal” interpretada por Bad Bunny. Lanço esta nota como esclarecimento de comentários e preocupações que surgiram nas redes sociais, na imprensa e por parte de algumas organizações protetoras dos animais, sobre a aparição de coelhos com a pele tingida e vou explicar esses fatos.
Como diretor, sou consciente das maneiras e formas necessárias de tratar qualquer animal que se utilize para uma gravação. O trato ético dos animais é algo que todos meus companheiros da indústria podem me atribuir. É decepcionante que pensem que os animais utilizados no nosso vídeo tenham sido tratados de uma maneira irresponsável.
Quero esclarecer que a ideia de ter coelhos tingidos foi minha proposta criativa à Bad Bunny, e não o contrário. Portanto, sou responsável não apenas pela sua aparição, mas também pelo tratamento.
Para nossa produção, contratamos uma equipe que trabalha com animais em gravações e que contam com uma grande experiência. A pessoa responsável (…) é um médico veterinário, zoo-tecnologista e tosador profissional. Os coelhos estiveram nos cuidados e supervisão desse profissional e sua equipe durante toda a gravação. A tinta utilizada para mudar a cor da pele é um produto especial para animais, não tóxico, sem amônia, nem peróxido. Além disso, a raça de coelhos emprestados para o vídeo são da Nova Zelândia e por natureza possuem olhos roxos. Por isso, qualquer comentário a respeito da tinta irritando os olhos, não faz sentido.
Quero dizer aos fãs de Bad Bunny e ao público geral que esses animais foram tratados de maneira ética e sob cuidados de experts. Nunca teria continuado com a produção se não estivesse seguro que eles seriam tratados de maneira devida.
No futuro, me certificarei de proporcionar informações a respeito do trato de animais em minhas gravações para evitar qualquer tipo de mal entendido”.

Bendito também sentiu as críticas pesarem. Em um comentário de uma fã pedindo explicação, o cantor confessou que estava pensando em tirar o vídeo do YouTube, mas mudou de ideia. “Eu ia dar [uma explicação], inclusive ia tirar o vídeo do YouTube, mas estão me tratando mal, julgando e falando besteira sem saber de nada e não vou entrar nessa”.

Essa não é a única polêmica envolvendo algum clipe do Bad Bunny. Outra notícia abalou os fãs do cantor, mas com relação a outra produção. No vídeo de La Romana, tanto Bad Bunny quanto El Alfa aparecem em primeiro plano enquanto um carro pega fogo. Franklin Mieses, fã de apenas sete anos, da República Dominicana, morreu queimado ao tentar recriar o clipe. Com queimaduras de segundo e terceiro grau em praticamente 60% do seu corpo, não resistiu. Além dele, duas primas do menino também se feriram – agora, se encontram em estado grave no hospital. Até o momento, o artista não se pronunciou sobre o caso.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.